viernes, 13 de julio de 2007

Pensamentos


Deveriam fecharnos na felicidade sem nos darem as chaves.

--------

O amor livre é só para alguns presos.

---------

O frio da solidão pode vir de mãos muito apaixonadas


(Némer Ibn el Barud)


15 comentarios:

avelaneiraflorida dijo...

Pensamentos muito curiosos...

Mas...será que a rotina não cairia no perigo da monotonia????

E quem se prende por amor...também pode LIBERTAR por amor! é a prova maior desse amor...

Pode sim. Mas se o frio vier, nada melhor do que voltar a juntá-las para se reaquecerem...

"Tou" muito filósofa, hoje!!!!
É por ter de ir vigiar exames a partir das 5 de la tarde....

BJKS, querida Ema!!!!!

Ema Pires dijo...

Querida amiga Avelaneira,
há dias assim em que nos tornamos fisósofas sem querer. Mas é outro ponto de vista e concordo abslutamente contigo.
Coragem com os exames.
Beijao

papagueno dijo...

Belos pensamentos e que música fantástica.
Beijos

Ema Pires dijo...

Amigo Papagueno,
Obrigada pela visita. Esta é uma canção grega cantada numa das mais lindas e mais ricas línguas do mundo, (é a minha modesta opiniao).
Estou em Lisboa neste momento e para mim é sempre um enorme prazer passear por esta cidade tao especial.
Beijinhos

Um Momento... dijo...

Hum...
Apreciando a musica( fantástica...)
A imagemmm bela!!
As tuas palavras... enigmáticas
Adorei

Um beijo(*)

Ema Pires dijo...

As palavras do Ibn l Barud sempre sao muito enigmáticas e misteriosas, por isso gosto.
Obrigada pelas tuas.
Um beijo para ti amigo.

Mário Margaride dijo...

Querida amiga,

Que bom seria. Fecharem-nos nas masmorras da felicidade, do Amor, e da alegria, e deitarem a chave fora. Ficaríamos eternamente...felizes.

Bom fim de semana

Beijinhos

gasolina dijo...

Frase perfeitas para um mundo imperfeito.
Frases lindas que parecem assustar os homens.
Tanto procuramos e quando de caras, fugimos com medo.

Um beijo da Amiga Fogo.

gasolina dijo...

Amiga Fogo,

Há um mimo para ti lá no meu sitio.

Beijos

Ema Pires dijo...

Amigo Mário,
Pois eu tomava já um sitio nesse lugar: vivir sem pensar em coisas tristes, porque nao existiriam, nem mentiras, nem enganos... O paraiso! E sem poder sair. Que felicidade.
Beijinhos

Ema Pires dijo...

Amiga gasolina, só fogo,
Vou agora mesmo ver esse miminho. Até já no teu blogue.
Beijoes desses que fazem muito barulho!

Entre linhas... dijo...

Uma bela imagem passeando de mãos das com um estlo de música fora do vulgar,muito rica em termos culturais.
Bom fim de semana
Bjs Zita

Ema Pires dijo...

Obrigada pelas suas amáveis palavras Zita. É sempre uma surpresa agradável ver que o meu blogue possa ser ineressante.
Um grande abraço

Méon dijo...

A propósito da felicidade eterna, é sempre de lembrar que isso, por definição, não existe.
Veja-se o que aconteceu a Ulisses na ilha encantada e que Eça de Queiroz tão bem relatou num dos seus contos.
A felicidade eterna provavelmente seria uma tremenda chatice (monotonia...), como observou Avelaneira Florida.
O que é bom na praia é o vai-e-vem das ondas, o sobe e desce, o encher e rebentar em turbilhão sobre nós. Nada mais chato do que o mar-de-rio de certo Algarve, aquela sopa onde chapinham as crincinhas e as avozinhas que não sabem nadar e os velhinhos barrigudos como eu...

Viva a vida feita de tudo!

(Ena pá! Hoje deu-me p'raqui, deve ser por andar folgado da NET, sem ligações e a fazer (des)arrumos!!!

Não leves a mal, Ema.

Ema Pires dijo...

Amigo Meón,
Nao levo a mal, até encontro engraçado o teu comentário. Mas no meu paraíso nao haveria barrigoes nem criancinhas a gritar! Cada um sonha o seu paraiso como quer!!!
Beijinhos e volta sempre