sábado, 14 de julio de 2007

NOITE AFRICANA


NOITE
Noites africanas langorosas,
esbatidas em luares,
perdidas em mistérios.
Há cantos de tungurúluas pelos ares!
Noites africanas endoidadas,
Onde o barulhento frenesi das batucadas,
Põe tremores nas folhas dos cajueiros.

Noites africanas tenebrosas,
Povoadas de fantasmas e de medos,
Povoadas das histórias de feiticeiros
Que as amas-secas pretas contavam aos meninos brancos.
E os meninos brancos cresceram, e esqueceram as histórias.
Por isso as noites são tristes.
Endoidadas, tenebrosas, langorosas, mas tristes
Como o rosto gretado, e sulcado de rugas, das velhas pretas
Como o olhar cansado dos colonos,
Como a solidão das terras enormes mas desabitadas.
É que os meninos brancos, esqueceram as histórias,
Com que as amas-secas pretas os adormeciam,
Nas longas noites africanas.
Os meninos-brancos esqueceram!

(Alda Lara)

13 comentarios:

avelaneiraflorida dijo...

LIndissimo!

Tenho ouvido falar tanto da beleza das noites africanas!

Adorava, um dia, poder senti-las...

Entretanto tenho aqui este teu post maravilhos!!!!

"Brigados" querida EMA!!!

gasolina dijo...

Poema cheio de conotações.
Mas não estou tão certa que os "meninos brancos" tenham esquecido: conheço pessoas que vieram de África e continuam a falar da terra e das gentes com paixão, saudade e lágrimas nos olhos.

Mais um post sentido, pelo verbo e pela gravura.

Um beijo, Amiga Fogo

Ema Pires dijo...

Querida Avelaneira,
Tenho recordaçoes de noites passadas na savana, ouvindo histórias de espíritos por algum contador. Nunca o silêncio é total, ouve-se partir ramas, gritos de animais nocturnos, e tudo isso faz volar a imaginação de pequenos e grandes.

Ema Pires dijo...

Hola Gasolina, fogo,
É verdade Africa nunca se esquece. Eu também quando penso em Africa e em tudo o que está a passar em certos países africanos, também tenho vontade de chorar. Embora os países onde estive nao estejam en guerra.
Obrigada amiga pelo teu comentário.

Vieira Calado dijo...

Uma belíssima imagem, a escolhida para acompanhar o poema.

Ema Pires dijo...

Obrigada pela sua visita. Já fui visita o seu blogue e gostei particularmente pela originalidade e a clareza.~
Um abraço

papagueno dijo...

Lindo poema com cherinho a África.
Bjs

Joana DÁrc dijo...

Olá amiga Ema, esta visão de africa deixanos tristes. Tenho amigos que lá passaram quase toda a vida e a imagem que passam é muito mais alegre e feliz.
No cinema vemos cenas de feitiçaria africana mas nao pensei que fosse assim tao comum.
Beijinhos

Ema Pires dijo...

Amiga Joana,
Sim sao felizes recordações, de pessoas alegres e carinhosas e de lugares absolutamente especiais. Mas também fica a nostalgia desses tempos e lugares.
Beijinhos

Ema Pires dijo...

Amigo Papagueno,
É o que quiz partilhar aqui.
Abraço

gasolina dijo...

Vim deixar o meu beijo e saudades de novos poemas por ti dados a conhecer.

Que Lisboa te sorría, Amiga Fogo!

Beijinhos!

Antonio Delgado dijo...

Ola Ema,

Boa musica e um poema pouco conhecido. Quando puderes passa pelo meu espaço tenho uma surpresa para ti.

Bjs.
Antonio

Ema Pires dijo...

Obrigada amiga Gasolin, ultimamente ando bastante ocupada a andar de um sitio para outro, encontrar amigos, familia, e nao tenho tempo para atender o meu blogue. Peço disculpas, mas sei que me entenderás.
Um grande abraço