domingo, 30 de septiembre de 2007

Reinos africanos Núbia (Sudão)


Pirâmides de Meroé (Sudão)

Ruinas de Meroé (Sudão)


Pirâmides de Meroé

Nagga

Templo de Abu Simbel

Coroa real da Antiga Núbia

A República de Sudão é actualmente o maior Estado do continente africano. Unida geograficamente e historicamente ao Egipto desde a época faraónica, o território sudanês que começa actualmente ao nível da 2º catarata do Nilo, foi centro de culturas importantes na história da humanidade.
Os reinos aparecem a meados do IV milenário a.C. criando o reino de Kerma (2500 - 1500 a.C.), que mantém contactos estreitos com o Egipto, que acomete por vezes ataques contra ele.
De 1500 a 1600 a.C. o Egipto do novo império exerce uma grande influencia sobre o país. A região recobra a sua independência e uma dinastia núbia funda um principado à volta de Napta. No século VIII o rei de Koush anexa o Egipto e proclama-se faraó.
O país de Khoush dos textos faraónicos, expande uma civilização núbia original. Esta dinastia Khousira (XXI dinastia egípcia), reina desde o Mediterrâneo até Meroé, a 280 km de Khartoum (Sudão). Foi destruída pelos Assírios no século VII, formando-se um novo reino de Meroé que é destruído por Ezana, soberano do reino de Aksoum (Etiópia), em 350 a.C.

27 comentarios:

papagueno dijo...

Que belas imagens.
Pensar que já foi uma civilização próspera e que hoje está como esta.
Beijos

Ema Pires dijo...

Amigo Papagueno,
Assim sao as civilizaçoes: nascem, desenvolvem-se e morrem, como tudo neste mundo. Mas esta postagem é para falar de uma civilizaçao que parece que o Occidente esqueceu, como se esquece que o Egipto está em África.
Obrigada pela visita.
Bjs

avelaneiraflorida dijo...

Querida Ema,

Que bonita evocação!!!
Pena que os senhores que fazem os programas de História se esqueçam de tantas "pequenas" coisas bem significativas da cultura humana...

Sempre um prazer, estar aqui!!!
Bjks

Victor Nogueira dijo...

Olá :-)
Passear pelo teu blog é encontrar a beleza que transmites nas fotos que escolhes, e não só. Gostei muito deste e do anterior
Bjo
VM

Bianca dijo...

Quanto ao lançamento do livro do Tiago Nené, Versos Nus, da Magna Editora, de que vi aqui o anuncio quero dizer o seguinte:


Estive lá.

escritor bonito

grandes poemas e diferentes

livro a bom preço

grande capa

aconselho

Bi.

Carilisve dijo...

¡Hola Ema!
Extraordinaria cultura.
Para países tan jóvenes como los nuestros, conocer sociedades donde la historia se mide en milenios, resulta muy interesante y debe servir de referencia.
Creo recordar haber leído que esta zona fue afectada por la construccion de una represa...Creo...
Saludos

Ema Pires dijo...

Querida Avelaneira,
África é um grande continente que tem culturas milenárias, mas parece que só se fala de dois ou três povos de centro de África. Assim que tenho intençao de falar de algumas dessas grandes culturas no meu blogue.

Ema Pires dijo...

Olá Victor, obrigada pela visita e pelas palavras amáveis.
Um abraço

Ema Pires dijo...

Amigo Carilisve,
Efectivamete, foi construida a barragem de Assuan e o templo que vês na foto foi levado pedra por pedra a outro lugar. Obrigada pela tua visita.
Um abraço

Ad astra dijo...

Apoio incondicionalmente a intenção de falar sobre culturas tão ricas e ao mesmo tempo tão desprezadas e esquecidas.
Prometo vir cá "cultivar-me"

Mário Margaride dijo...

Belíssimas imagens, querida amiga!

Fazes aqui um belíssimo retrato. De um país, e da sua riquíssima cultura.

Boa semana, e um beijinho grande

ANTONIO DELGADO dijo...

Ola bom dia Ema.

É um post muito bonito e que nos indicia, o enorme potencial da cultura africa, em termos de arte, tecnica e estética. O actual sudão esteve ligado ao egipto na antiguidade, porque o leito do rio Nilo acabava por ser o denominador comum, em termos economicos e estrategicos de todas aquelas culturas que nas suas margens viviam. Desde a sua origem até à Foz, muitas culturas se cruzaram e todas eles estiveram sobre a egide daquilo a que chamamos hoje, civilização egipcia.O egipto era o que se podia dizer na actualidade uma verdadeira civilização multicultural, mesmo assim não esteve imune a guerras. O sudão país do interior da africa foi uma delas e emprestou um caracter muito particular à arte daquela civilização, como bem mostras nas obras que ilustram este post. Sei o enorme fascinio que tens pelo Egipto e o misterio que essa civilização exerce sobre ti, como por exemplo: A elegancia das pessoas, a arte, a religião, as cores, a sabedoria e a cultura ilutrada além da imortal Nefertiti de quem tens muitas imagens. deixo-te com um enorme beijo Egipcio e azul (lapis-lazuli) e parabens pela tua postagem e pela musica que selecionas-te para ilustra-la.
tem um bom dia.

C Valente dijo...

boas imagens, bom texto
saudações amigas

Carilisve dijo...

¡Hola Ema!
Hace dos semanas dejé en el blog un texto titulado "Viviendo en los extremos III. Notas sobre la educación".
Desearía en la medida de lo posible conocer, si la situación que se describe la has observado en tu lugar de origen o, actualmente donde resides.
Es simple curiosidad de mi parte. No es un estudio científico, ni nada qu se le parezca.
Saludos y gracias.

Neurotransmisores dijo...

Impresionantes las arquitecturas. Ideal para trasladarse en el tiempo.

ANTONIO DELGADO dijo...

Passei para dar um beijinho e dejar um bom dia.

beijinhos
Antonio

Ema Pires dijo...

amigo ad astra,
Isto é simplesmente uma modesta contribuiçao à divulgaçao -insisto modestamente - das culturas africanas que sao tao pouco conhecidas e tao pouco cmentadas nos meios de cmunicaçao.
Logo que tenha tempo vou continuar com estas postagens
Um abraço

Ema Pires dijo...

Meu amigo poeta, Mário,
Bem vindo e obrigada pela visita.
Beijinhos

Ema Pires dijo...

Querido António Delgado,
Gostei muito do teu comentário e se devo a alguém saber tanto de arte é a ti, senhor escultor.
Obrigada pela tua visita e as tuas palavras.
Beijinhos

Nilson Barcelli dijo...

Uma pequena lição de História não faz mal a ninguém.
Eu gostei, e portei-me bem enquanto a guia (que eras tu) falava...
Bfs, beijinhos.

Ema Pires dijo...

Muito bem, amigo nilson, fico contente se pensas que a liçao foi agradável. Mas nao é exactamente uma liçao, só uma pequena e modesta informaçao.
Beijinhos

Alice Matos dijo...

Um post muito interessante...
Parabéns!

Beijos...

Ema Pires dijo...

Olá Alice,
Obrigada pela visita. Faz-me sempre prazer ver-te por aqui.
Beijinhos

A. João Soares dijo...

Gosto deste post, muito didáctico. E quero acrescentar um ponto ao comentário do amigo António Delgado. Os faraós egípcios tentaram impedir que a Núbia se organizasse como estado, preferindo que ali existissem tribos dispersas. Mas a decadência do Egipto não se fez tardar e este passou a ser governado por dinastias estrangeiras, sendo a última delas precisamente sudanesa. Os reis de Napata conquistaram o Egipto em 730 a.C. e foram, simultaneamente, faraós até 663 a.C, quando o Egipto foi conquistado pela Assíria. Com esta conquista, Napata não foi ocupado mas desagregou-se e surgiram no seu lugar os três «reinos das cataratas», Nobatia, Dougola e Alodia, que se manteriam por mais de 20 séculos. Dougola foi vencida pelos mamelucos no século XIV e Alodia por volta de 1500.
Isto demonstra a interacção entre os povos da bacia do Nilo, a que António Delgado se refere.
Abraço

Siry dijo...

Que bom blog o seu, gosto moito conhecer destas culturas.
Disculpe mi mal portugues, lo entiendo perfectamente, me cuesta escribir.
Gracias por su visita, vendre con frecuencia a conocer de estas fascinantes culturas.
Un beijo

Ema Pires dijo...

Amigo Joao Soares,
Obrigada pelo complemento de informaçao, sempre bem vindo. Eu nao quiz fazer um texto demasiado longo, mas haveria muito que dizer sobre estas civilizaçoes, bastante desconhecidas para muitos. Tenho livros que falam delas, e o problema é que os histriadores nao querem saber muito de civilizaçoes africanas, salvo a do Egipto. Todas as outras - e houve muitas importantes e interessantes- ficam no esquecimento. Por isso agradeço muito o teu comentário querido amigo.
Um abraço

Ema Pires dijo...

Estimado Siry,
Imagino que es Ud. de habla española, así que no hay problema para comunicar, porque también hablo su idioma. Voy intentar poner algunos posts en castellano. Como puede ver en mi perfil, soy traductora.
Gracias por su visita y vuelva pronto.
Un abrazo