lunes, 13 de octubre de 2008

Natureza



Um poema do poeta senegalês Birago Diop explica como é a natureza e em que nível a situa o africano:


"Ouve mais as coisas que os seres;
escuta a voz do fogo
escuta a voz da água.
Tem atenção ao vento:
O suspiro no mato
É o voo dos antepassados.

Os que morreram não estão longe,
Estão na sombra espessa.
Os mortos não estão debaixo da terra;
Estão na árvore que ecoa.
E estão no bosque que geme,
Estão na água que corre
tanto como na água dormida,
estão na palhota, estão na barca...

Os que morreram não estão longe...
Os mortos não estão debaixo da terra:
estão no incêndio que se acalma,
estão nas ervas que choram,
estão nas rocas que gritam,
estão no bosque, na lareira:
os mortos no estão mortos".

14 comentarios:

M.E.D.T dijo...

A natureza é fascinante
Passei pra conhecer o blog e adorei
otima semana
bjs

M.E.D.T dijo...

A natureza é fascinante
Passei pra conhecer o blog e adorei
otima semana
bjs

comentar a nossa terra dijo...

passei por aqui para vos alertar sobre uma situação grave e que configura diversos tipos de crime:
alguém entrou no meu ip e detectou a password de acesso às minhas caixas de correio.
Desde aí, têm-se servido de email pessoais e profissonais para se fazerem passar por mim.
A violação de correspondência (mesmo a trocada via internet) e a consequente invasão de privacidade são crimes tipificados na lei.
O uso abusivo e não autorizado de informações pessoais e confidenciais também são crime.
a pirataria informática é grave.
Por outro lado, a utilizaçao de identidade de terceiros é um crime gravissimo comtemplado no código de processo penal.
Isto deve de servir de alerta para todos vós.
Claro que para a PJ é fácil detectar os autores destes crimes e a participação já foi feita.
um abraço a todos

Catalina Zentner dijo...

Bellos, el poema y las ilustraciones, es bueno conocer a autores de distintos países y culturas.

Respecto a la piratería informática, estamos muy expuestos a ella, en Internet abundan los que usurpan identidades, y poca la posibilidad de que se haga justicia, salvo a través de cadenas de mensajes solidarios.

Abrazos,

Ema Pires dijo...

Olá Lucia,
Já lhe deixei uma mensagem no seu blogue sobre o que lhe fizeram. É mesmo triste e patético andar a entrar no correio das pessoas.
Beijinhos

Ema Pires dijo...

Bienvenida queroda Catalina, gracias por tu visita.
Si quieres ver la traducción del poema, visita mi blog en castellano:
http://www.historiasdeafrica.blogspot.com

Carla Silva e Cunha dijo...

Adorei gostava que fosse a arte-e-ponto.blogspot.com

Gasolina dijo...

Ema,

Não duvidei nem um pouco que o poema fosse belo, bastava tu teres dito.

Mas garanto que fiquei completamente silenciada pelas imagens que as palavras me transmitiram. Os antepassados a cuidarem-nos, a cuidar do que nos rodeia, da árvore...

Tanta simplicidade no dizer.

Abraço-te por todos os momentos de fogo que me tens emprestado, Amiga.

Nilson Barcelli dijo...

Ia jurar que publicaste este poema há umas semanas atrás... onde eu terei dito que a poesia africana está muito ligada à Natureza...
Mas deve ser confusão minha.
De qualquer modo gostei, este poema foi uma excelente escolha.
Beijinhos.

Carilisve dijo...

¡Hola Ema!
Estaba de viaje por trabajo.
Regresé a visitar to blog, y me enecuentro con este bello poema, que logré comprender a cabalidad gracias a la traducción que tienes en el otro blog, el cual visito, pero prefiero comentar por aquí.

Un beso.

ANTONIO DELGADO dijo...

Passo para sentir um pouco o cheiro de africa e beleza das fotos...um beijo africano.

António

Ema Pires dijo...

Olá Nilson,
Pode ser que já tenho publicado. Mas é tao bonito que nao importa voltar a ler.
Beijinhos

Ema Pires dijo...

Amigo Carilisve,
Agradezco tu visita a pesar del trabajo. Yo también he tenido mucho trabajo y falta de tiempo para el blog (el mío y otros), lo que lamento mucho.
Un gran abrazo

Ema Pires dijo...

Olá António,
Espero que também ouviste esta linda música.
Beijinhos africanos para ti.