martes, 22 de enero de 2008

Festas bárbaras



Recebi hoje este mail e quero deixar aqui este texto sobre costumes bárbaros que ainda se perpetuam em Portugal. Em Espanha, felizmente, este tipo de costumes já está proibido. En particular gostava de saber como é que a Igreja ou o padre dessa aldeola deixa fazer isto. Peço a todos de se solidarizarem e de lutarem contra os maus tratos aos animais.

"Caros amigos dos animais!

Chegou a hora de acabar com uma tradição primitiva e cruel que serve apenas para divertir uns quantos sádicos.
Acontece em Campia, uma pequena aldeia do concelho de Vouzela em Viseu. No dia de carnaval os organizadores da festa teimam em incluir uma tradição que consta do seguinte: Os organizadores caçam , roubam um gato, algures, e metem-no num cântaro onde fica fechado até à hora da festa, (todos sabemos que os gatos sofrem de forte claustrofobia, e, só isto é causa de grande angústia e sofrimento).
Depois, no largo da festa, está um grande mastro ladeado de lenha, o cântaro é elevado por cordas até ao cimo do mastro, a seguir lançam fogo á lenha que aquece o cântaro, queima as cordas e o cântaro cai desfazendo-se em cacos; o gato (se ainda puder) corre espavorido tendo á perna a parolada toda a persegui-lo com paus para ver quem lhe acerta.
Todos sabemos que os países civilizados não admitem más tradições, só as que dão alegria e bem estar a todos. Já no 3º mundo abundam as tradições em que o forte usa o fraco; Os apedrejamentos, os sacrifícios, as amputações, a escravatura, geralmente em que as vítimas são as mulheres, as crianças e os animais.
Todos nós temos obrigação de colaborar na evolução do nosso país.
Esperemos então que cada um de nós passe a palavra ao maior número de pessoas, e envie uma crítica a quem tem culpas desta prática.
Tem o presidente da junta, que é um dos organizadores, o presidente da Câmara que concorda, o padre que abençoa a festa. e todos os que vêem, calam e consentem.
As contestações isoladas de nada têm servido, pelo contrário. Temos que ser muitos a repudiar esta tradição para eles perceberem a falta de civismo.

Daqui até ao carnaval, não paremos de criticar e denunciar a quem de direito."

presidente da junta - Antonio ferreira : junta.campia@clix.pt telef 232751111
pres. da Câmara - Telmo Antunes : telmo antunes1@gmai.com , presidente@cm-vouzela.pt
padre Antonio - pcampiaalcofra@gmail.com , pcampiaalcofra@sapo.pt telef 232751102
jonal de vouzela - noticiasvouzela@sapo.pt
Sepna de viseu (maus tratos a animais) mestre Figueiredo Lopes 968689245 - 232467940 - 232467954

15 comentarios:

Carilisve dijo...

¡Hola Ema!
Gusto volverte a leer.
Desconocía esa macabra tradición. Particularmente, me parece algo sádico torturar y matar un animal, por "diversión". Hay miles de formas de divertirse...
Esto mismo aplica a la Corrida de Toros...
iniciando un nuevo siglo y todavía mantenemos tradiciones y costumbres medievales...
Saludos

papagueno dijo...

Acabo de vir de outro blogue que fala do mesmo assunto. é realmente uma selvajaria ainda pior que as touradas. E pensar que há tanta tradição bonita a perder-se enquanto teimam em manter estas.
Pelo menos a música por aqui é mesmo uma delicia.
beijos

avelaneiraflorida dijo...

Querida Ema, e logo chamando a tenção para um caso destes!!!!

Sim, algo deve ser feito! Os animais não merecem sofrer para gaúdio dos seres humanos!!!!
bjkas, amiga!!

Victor Nogueira dijo...

Passei apenas para dizer olá. Não sei se receber+as este comentário pois todos os meus anteriores têm sido rejeitados.
Abraço
VM

Ema Pires dijo...

Querido amigo Victor,
Bem vindo ao meu blog.
Nao sei o que terá passado com os teus comentários, eu nao vi nenhum e nao os teria rejeitado se os visse. Deve ter passado alguma coisa entre o teu computador o meu. Às vezes passam estas coisas esquisitas. Sempre serás bem vindo a este espaço.
Beijinhos

Ema Pires dijo...

Olá Amiga Avelaneira,
Que prazer de te ter aqui novamente. Tenho estado muito ocupada e fora de casa e nao foi possível acupar-me do meu blogue. Às vezes nao posso mesmo. Mas quando é possível intento voltar.
Muitos beijinhos e obrigada pela visita.

gasolina dijo...

Isto é ignóbil e vil!

Gostava de ver estes senhores aprisionados como o pobre animal!

Desculpa o pensamento, mas não sou capaz de sentir diferente!

Beijinhos, Amiga de Fogo!

Ema Pires dijo...

Querida amiga Gasolina,
Pois eu penso exactamente como tu. Fechar essa gente (se se lhes pode chamar genta), fechá-los dentro de uma caixa, tirá-los desde uma boa altura e dar lhes uma boa tareia com paus, para ver se gostam. Tenho a certeza que nunca mais o fariam. Nao vou seguir a escrever porque acabaria por ser muito gressiva e mal criada, e nao é o objectivo do meu blogue a agressividade. Espero só que pensem um bocadinho se ainda têm alguma neurona que lhes funcione.

Um grande abraço muito especial para ti

ANTONIO DELGADO dijo...

Ola Ema,

É bom ver-te de novo a dares alma a este espaço e com uma causa que acho nobre e deve de ser denunciada, porque na era pos- moderna não de pode viver com praticas do paleolitico.

Um beijo azul desde Portugal

António

Ema Pires dijo...

Olá António,
Obrigada pela visita. Vi que tu também defendes esta mesma causa no teu blogue, com um artigo muito bonito.
Otro beijo azul para ti.

gasolina dijo...

Pois volto para dizer que li uma noticia no jornal que me deixou muito feliz!!!

Esta corrente formada na blogoesfera já deu os seus resultados!

E este ano, sensibilizados, repetiram esta tradição:

COM UM GATO DE PELUCHE!!!

Há que ter esperança!

Um beijo enorme Ema, por chamares a atenção!!!

Saudades, Amiga de Fogo

Siry dijo...

Cuando por los años no puedas correr, trota; cuando no puedas trotar, camina; cuando no puedas caminar, usa el bastón. Pero nunca te detengas.
Feliz día de la juventud.
Un abrazo

gasolina dijo...

Querida Ema,

DEixo-te um beijo, saudades e sinto-te ocupada e em trânsito.

Fica Bem, Amiga do Fogo!

A. João Soares dijo...

Também recebi o e-mail e retransmiti-o para cerca de 80 pessoas incluindo os dos endereços que nele constam. Recebi uma resposta de um dos responsáveis autárquicos. Mas a campanha deu resultado. Usaram um gato de peluche, em vez do gato vivo. Foi apenas um primeiro passo.
Uma lição aprendemos: dá resultado fazer campanhas deste género por justas causas.
É de continuar.
Um beijo de Cascais
A. João Soares

No blog Do Miradouro há novos artigos

gasolina dijo...

Besos!

Muchos Besos Amiga Ema!